Como os coreanos comemoram tradicionalmente o ano novo?

Tempo de leitura: 7 min

Escrito por gabriel araujo

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

100% livre de spam.

Compartilhe agora mesmo:

Existem diversas datas comemorativas que possuem um grande destaque com o passar do ano, destacando-se o Natal, o Dia das Mães, entre outras festividades voltadas à cultura de cada país. Uma celebração comum no mundo todo é a comemoração do ano novo.

Data essa que costuma simbolizar o fim de um ciclo e o início de um novo, servindo muitas vezes como uma cerimônia de renovação. Sendo, por exemplo, o momento escolhido para um indivíduo dar início a novas metas e objetivos em sua vida.

Seja a adoção de novos comportamentos, o comprometimento a cuidar melhor da sua saúde, a realização de uma dieta, ou até mesmo tópicos de teor profissional, como na realização de um curso que trabalhe na preparação dessa pessoa ao mercado.

Algo que possa, por exemplo, aprimorar a realização de um diagnósitico organizacional da sua empresa, ou qualquer que seja a atividade que possa trazer a sua companhia uma melhor situação no mercado, diante os seus métodos de gestão.

Mesmo com esse conceito de renovação e atualização estando presente na maioria das culturas, em referência a celebração da data do ano novo, não existe o mesmo conceito ao que se refere a data específica no qual esse novo ciclo se inicia.

Diante do mundo globalizado, a maioria dos pais passou a adotar um só método de quantificação dos dias, no chamado calendário gregoriano, tendo um grande destaque nos países de posição ocidental, sendo replicado até mesmo em governos do lado oriental.

Permitindo assim que uma empresa norte-americana de soluções audiovisuais, consiga fazer negócios com uma companhia pertencente ao continente asiático, junto aos prazos de pagamento das matérias-primas compradas junto aos fornecedores dessa região.

Contudo, mesmo existindo um certo alinhamento, as celebrações de ano novo costumam continuar a seguir as tradições culturais de cada povo, junto às suas respectivas crenças e religiões.

O que faz com que o término e início de um novo ano possa ser diferente de um país para outro.

Ao que se refere o ano novo?

A celebração de um novo ano que se aproxima é uma atividade específica do ser humano e suas diferentes culturas, pois não é como se o planeta trabalhasse com um cronograma exato, informando o passar de 365 dias.

Por mais que a definição desse número de dias esteja ligada ao próprio sistema de rotação do planeta, em relação a volta completa que o globo faz em relação ao sol. O que de fato existe é uma concepção definida pela sociedade, para se medir tal relação.

Porém, assim como cada cultura possui definições diferentes para atividades, ritos religiosos, entre outras questões que podem ter um significado completamente diferente simplesmente ao ultrapassar a fronteira de um país para o outro.

E entre essas mudanças é possível destacar também a celebração a ser realizada no dia 31 de dezembro, marcando o fim de um ano. E essa diferenciação nem está somente na questão do fuso horário, com cada país celebrando essa data em um horário distinto.

Mas existindo também uma diferenciação sobre o que identifica como o ponto exato que marca o fim de um período específico, e o início de um próximo.Uma distinção importante até mesmo para companhias que atuam em diversos países.

Já que uma empresa de automação precisa conhecer os feriados locais e datas religiosas de cada governo no qual suas filiais podem se posicionar, para assim realizar um planejamento adequado, sendo possível marcar uma reunião entre gestores distantes.

E entre essas diferenciações culturais, é possível destacar a data estabelecida como o término de um ano, com alguns países não utilizando do 31 de dezembro como a data que simboliza o término de um período anual.

Como acontece em alguns países asiáticos, como a China que atua com um calendário próprio do país, ou então a Coreia do Sul, que costuma celebrar os seus ritos de passagem anuais em uma cerimônia conhecida como Seollal.

Um evento que costuma ocorrer em uma data distante do tradicional 31 de dezembro, a ser celebrado nos países de centro ocidental, como os Estados Unidos ou até mesmo o Brasil.

As particularidades do Seollal

A celebração de novo é algo comum em todas as culturas, existindo até mesmo a universalização de alguns termos relacionados a essa data, como o Réveillon, termo em francês que se refere ao ato de despertar e renovação, por isso sendo associado à festa.

Em um nível de assim ser conhecida essa cerimônia até mesmo no Brasil. Sendo uma festa que reúne pessoas na praia ou até mesmo em suas varandas, embaixo de uma cobertura em vidro, para visualizar a queima de fogos.

Um espetáculo visual que além de entreter os olhos tem a função de espantar vibrações e sentimentos ruins, como acreditavam muitas culturas, que mantiveram essa realização como um movimento cultural, ocorrendo então nos mais diversos países no fim do ano.

Contudo, na Coreia do Sul essa celebração ocorre popularmente em outra data, já que para o povo sul-coreano um novo ciclo se inicia apenas nesse evento que é conhecido como o Seollal, o início do novo ano lunar.

Uma celebração que muitas vezes coincide com o feriado do ano novo chinês, ocorrido em grande parte entre os meses de janeiro e fevereiro, indo em direção contrário a maioria dos países posicionados no globo, acostumados a celebrar o evento no fim de dezembro.

O Seollal popularmente é uma tradição cultural familiar, reunindo parentes para celebrar a sua união perante a sociedade, em um feriado de duração de 3 dias. Durante essa cerimônia as famílias se reúnem enquanto praticam diversas atividades culturais.

Passando por quesitos como:

  • Culinária local;
  • Vestimentas;
  • Músicas;
  • Representações artísticas.

Com destaque para o uso de uma vestimenta adequada, com a utilização do tradicional hanbok. Uma peça similar a um vestido de cores vibrantes, cortes mais simplificados e eliminação de bolsos.

Uma peça ancestral que perdeu um pouco do seu espaço na cultural local, diante a moda moderna, cada vez mais globalizada, mas que volta a ter um destaque durante o Seollal, como uma forma de honrar as raízes culturais sul-coreanas.

Sendo o Seollal o feriado no qual a população da Coreia do Sul mais celebra as suas tradições, indo em um caminho contrário ao processo de renovação cultural que o país passa nos dias de hoje, com seus novos costumes e músicas populares.

Com esse feriado movimentando o país em uma forma de resgatar as suas tradições de forma anual, fazendo com que serviços de alimentação passem a oferecer alimentos ligados à cultura gastronômica ancestral, no lugar da comida moderna.

Mesmo sendo uma celebração de grande importância para a cultura sul-coreana, não é como se o país ignorasse o evento do dia 31 de dezembro, pelo contrário, o que acontece na verdade é uma celebração dupla, com festividades em ambas as datas.

As festividades no 31 de dezembro

Diferente do Seollal, que age de maneira similar a um conserto de fricção, mantendo as peças de uma máquina em completo funcionamento, nesse caso mantendo as tradições culturais de um povo de raízes milenares, a festa de dezembro tem um outro propósito.

Enquanto a celebração do ano novo lunar é uma cerimônia familiar, o tradicional réveillon é comemorado no país principalmente entre amigos e colegas, sendo uma festa mais conectada aos preceitos globalizados e modernos da atualidade.

Uma celebração que foi introduzida na cultura sul-coreana a partir do século 20, acompanhando a ocupação japonesa ocorrida no país, sendo assim uma festa mais casual, menos ligada às tradições, que serão resgatadas durante o Seollal.

Assim como alguns países possuem um ponto turístico de forte destaque durante a celebração de novo, como os fogos na Praia de Copacabana ou o cair da bola na Times Square em Nova York, a Coreia do Sul conta com um símbolo próprio.

Com a população de Seoul, capital do país, se reunindo próximo ao sino do pavilhão Bosingak, que é tradicionalmente tocado 33 vezes, por 16 pessoas diferentes, reunindo artistas, celebridades locais e figuras do governo.

Servindo assim como um projeto de comando e sinalização, não ligado a um sistema visual de alerta, como acontece nas fábricas, mas sim como um evento que busca sinalizar a celebração ao redor do novo ano que se aproxima, em uma cerimônia de teor moderno.

Destacando assim a tradição durante o Seollal e a modernidade durante a celebração de 31 de dezembro. Existindo também outros costumes próprios do país em relação ao início de um novo ciclo na história local.

Como o fato dessas celebrações estarem ligadas a um aniversário geral da população, com todos ficando 1 ano mais velho durante o iniciar de um novo ano, dentro de uma contagem própria, já que cada cidadão sul-coreano culturalmente já nasce com 1 ano de idade.

Dando a população uma celebração dupla de aniversário, uma mais pessoal e outra como um grande feriado nacional. Uma diferenciação importante para uma empresa multinacional de projeto de automação que pretende se instalar no país.

Sendo importante conhecer todos os aspectos culturais do país, incluindo a forma com que essa sociedade comemora a chegada de um novo ano.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Compartilhe agora mesmo:

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta


*


*


Seja o primeiro a comentar!

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.