Acoplamentos flexíveis vs. rígidos: quando usar cada tipo

Tempo de leitura: 3 min

em novembro 6, 2023

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

100% livre de spam.
Acoplamentos flexíveis vs. rígidos: quando usar cada tipo

Saiba quais são as principais diferenças entre os acoplamentos rígidos e flexíveis

Acoplamentos industriais são itens usados para transmissão mecânica em sistema de rotação. Eles ajudam a absorver choques mecânicos e desalinhamentos, além de aumentar a vida útil de componentes, como motores, por exemplo.

Mas com a variedade de acoplamentos existentes no mercado, qual a diferença entre eles? Há vários tipos de acoplamentos industriais que você pode usar para manter os eixos alinhados e otimizar a vida útil dos rolamentos, contudo, neste artigo, vamos falar sobre os dois grupos principais: os rígidos e os flexíveis.

Acoplamentos rígidos

Esse tipo de acoplamento não possui grade e nem meios de absorver os desalinhamentos, ou seja, não tem maleabilidade e/ou flexibilidade. É também conhecido como fixo e exige maior rigidez estrutural.

Se os eixos não estiverem totalmente alinhados, ele não poderá transmitir torque em todo o seu potencial, além de aumentar os riscos de falhas e desgastes nos componentes das máquinas. Os principais modelos são:

  • Flangeado: representado por um tubo de metal com flanges fixas nas extremidades dos eixos. Garante mais estabilidade ao sistema e maior transmissão de torque;
  • Bipartidos: trata-se de um tubo partido em sua extensão com as metades parafusadas nos eixos das máquinas. É mais fácil de ser instalado e removido.

Acoplamentos flexíveis

Esses dispositivos permitem a conexão entre equipamentos estáticos, de modo que um dos aparelhos transmite torque e rotação para outro, formando, então, um sistema. Eles também absorvem desalinhamentos e reduzem o choque mecânico entre as máquinas. 

Tais itens consistem em elementos flexíveis colocados entre dois extremos rígidos, conectados aos eixos que precisam ser ligados. Lembrando que o artigo flexível pode ser feito de borrachas, polímeros flexíveis e outros materiais.

Diferente do acoplamento rígido, que visa dar mais estabilidade, o flexível objetiva fazer com que as máquinas trabalhem de forma mais fluida. Escolher o modelo ideal vai ajudar a evitar cargas radiais excessivas, desgastes e motores danificados. Entre os principais exemplares, podemos citar:

  • Engrenagem: é capaz de propagar torques mais elevados, devido a sua estrutura dentada;
  • Lâminas: formado por lâminas de metal que vão sofrer uma pequena deformação em seu alinhamento e absorver o impacto para não prejudicar o eixo das máquinas;
  • Corrente: possuem alta capacidade de transmissão de torque e são recomendados para sistemas com perda de potência alta;
  • Bucha: contém uma bucha de uretano que transmite o torque e absorve o desalinhamento e o choque. É indicado para cargas que têm alto impacto;
  • Correia: possuem duas correias planas que dão grande flexibilidade ao sistema e permitem desalinhamento axial e angular em diferentes sentidos;
  • Pneu: compensa, de forma simultânea, o desalinhamento em todos os planos, o que evita a sobrecarga dos rolamentos de sustentação.

Acoplamentos flexíveis vs. rígidos

A principal diferença entre os dois tipos de acoplamentos é que os flexíveis compensam os desalinhamentos nos ângulos de torção e deslocamento dos eixos. Já os acoplamentos rígidos não permitem o desalinhamento dos eixos, uma vez que não possuem maleabilidade e são mais firmes.

No caso dos acoplamentos rígidos, se os eixos não estiverem alinhados, eles não poderão atuar em toda a sua potência. Além disso, com o seu uso, o risco de falhas e desgastes prematuros aumentam.

Principais usos dos acoplamentos rígidos e flexíveis

Quando falamos em acoplamentos, a maior parte das pessoas pensam em indústrias enormes e grandes máquinas, mas existe um vasto número de aplicações e elas podem ser usadas até mesmo em fábricas alimentícias.

Os acoplamentos rígidos podem ser usados em casos como: escadas rolantes, elevadores, aeradores, agitadores, transportadoras e outros lugares onde os eixos precisam estar perfeitamente alinhados.

Os acoplamentos flexíveis, por sua vez, possuem diversos usos na indústria, em equipamentos como bombas, compressores, transporte, máquinas de processamento industrial e outros.

100% livre de spam.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

100% livre de spam.