A evolução do mercado Varejista

Tempo de leitura: 6 min

Escrito por admin

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

100% livre de spam.

Compartilhe agora mesmo:

A evolução contínua do mercado varejista e obriga os  varejistas a atuarem num mercado altamente dinâmico e competitivo focado no cliente

As lojas físicas esgotaram e desapareceram rapidamente, e o mercado é dominado pelo surgimento de lojas online. 

Com a ascensão do comércio eletrônico no início dos anos 2000, as guerras do varejo brasileiro e mundial, vimos as lojas físicas entrarem em conflito com os varejistas on-line.

Mas essa batalha acabou há muito tempo, pois a maioria dos grandes varejistas agora usa estratégias de varejo nas lojas físicas. 

Vamos entender como foi a reviravolta de mercado varejista brasileiro e mundial?

Segure o óculos e se liga na leitura!

A evolução do mercado varejista mundial

Com um número significativo de pessoas comprando através da internet e a cada ano desde então aumentando…

Em 2010 essas tendências resultaram em uma queda significativa nas vendas em muitas lojas físicas.

Embora até hoje a grande maioria das compras no varejo brasileiro e em outros países continuasse sendo feita em lojas físicas. 

E voltando um pouco; em 1970 muitas lojas fecharam e foram substituídas por lojas de departamento de desconto, lojas e grandes shoppings, que logo representavam 35% do mercado total de varejo dos EUA. 

As lojas de departamentos centrais nos principais centros metropolitanos dominaram o varejo até a época do pós-guerra.  

A maioria das cidades fez pouco para ajudar os centros urbanos, que logo se tornaram um deserto comercial sem lojas de departamento e muitas vitrines vazias. 

O boom populacional e o crescimento suburbano levaram ao surgimento de barraquinhas de vendas, lojas e grandes lojas de varejo. 

Nos últimos anos, estabelecimentos começaram a ser construídos em muitas cidades, proporcionando aos pequenos varejistas de alimentos uma localização central para se instalarem. 

Pois até a década de 1950, o varejo de alimentos era realizado principalmente em pequenas lojas de esquina próximas aos clientes. 

E na Inglaterra do século 19, uma loja de varejo cooperativa era conhecida como shopping ou loja de departamentos. 

E as primeiras lojas de autoatendimento abriram em 1911, mas Clarence Saunders, que fundou a Piggly Wiggly em 1916.

Elas vieram com inovações como carrinhos de compras, prateleiras abertas, sem balconistas e layouts de loja que levaram às primeiras lojas de autoatendimento. 

E Sylvan Goldman, proprietário de uma mercearia em Oklahoma City, ajudou a mudar o varejo moderno dos EUA inventando o carrinho de compras em 1937 para permitir que os compradores carregassem mais itens. 

Os mesmos carrinhos usados no mercado varejista brasileiro.

Os varejistas americanos do início do século 19, de Boston a Richmond e de Nova York a Chicago, rapidamente adotaram o layout e os serviços da primeira loja de departamentos, e assim nasceu a moderna loja de departamentos. 

O varejista parisiense Aristide Busiot (1810-1877) é frequentemente creditado por historiadores de negócios com a abertura da primeira loja de departamentos.  

O varejo como uma indústria organizada realmente começou nos séculos 18 e 19 com o surgimento de mercados urbanos, lojas especializadas e lojas de departamento. 

No final do século 19, muitas lojas de departamentos surgiram em muitos lugares, o que mudou a ideia de luxo e serviço. 

Durante esse período, os varejistas trabalharam para desenvolver técnicas modernas de marketing de varejo. 

À medida que a produção industrial cresce e a urbanização continua, o mercado de varejo se torna mais sofisticado. 

 Ao mesmo tempo, surgiram no mercado as lojas de descontos, que oferecem principalmente seus produtos de marca própria a um preço mais baixo do que as marcas. 

A maioria dos compradores começou a preferir vender seus produtos online e fechar suas lojas. 

Jogadores valiosos levaram muitos pequenos comerciantes locais à falência. 

Sears, Roebuck e Montgomery Ward continuaram a expandir seus negócios de catálogo e, reconhecendo as mudanças trazidas pelo automóvel e pelos subúrbios, abriram suas próprias lojas de varejo. 

 A primeira loja de varejo da Sears and Roebuck abriu em 1925 e cresceu de um catálogo de roupas com artigos para o lar para um grande varejista. 

A Sears and Roebuck é uma das primeiras lojas de varejo respeitáveis ​​a abrir. 

A Sears, anteriormente conhecida como varejista de pedidos por correspondência nos Estados Unidos, abriu a primeira loja da Sears em 1925 em Chicago.  

A nova tendência do mercado varejista

Atualmente, estamos vendo uma tendência de compras multicanal, com comerciantes online abrindo lojas físicas. 

E cada vez mais varejistas e atacadistas tradicionais, oferecendo seus produtos por meio de plataformas de compras online. 

Muitos varejistas usam uma abordagem prática para suas mercadorias de varejo, permitindo que os clientes experimentem os itens antes de comprar diretamente na loja. 

O varejo evoluiu na última década, pois oferece aos compradores a oportunidade de se envolver em experiências de compras mais agradáveis ​​do que nunca, influenciando positivamente a história do varejo. 

O e-commerce também está popularizando as opções de pagamento online e diversos gateways de pagamento que oferecem diversos descontos aos clientes, promovendo ainda mais o desenvolvimento do setor de varejo. 

Os hábitos de compra da população também mudaram, pois os jovens consumidores estão acostumados a ver seu peixe pré-cozido e pronto para cozinhar. 

E essa é uma coisa que o varejo brasileiro entendeu bem. Trazer mais facilidade e praticidade para a vida das pessoas.

Nossas lojas de roupas mudaram muito nos últimos 50 anos, pois há muito poucos varejistas independentes, a maioria deles agora são redes

Muitas vezes compostas por muitas milhares de lojas em todo o país, com poder de compra para competir com os supermercados e lojas de departamento mais recentes que também vendem roupas e vestuário, calçados masculinos, femininos e crianças. 

De muitas lojas especializadas de bairros, a cadeias de lojas e, eventualmente, grandes super centros de redes únicos, os supermercados tornaram-se um centro de inovação sem fim. 

Se você começar em 1900, o varejo era dominado por lojas de esquina. 

Havia alguns catálogos, mas a experiência de compra esmagadora estava na loja da esquina. 

As empresas estavam acostumadas a lojas menores e mais especializadas e o conceito de balcão único ainda não existia.  

Em vez de correr de loja em loja, os clientes podem facilmente fazer compras através de “departamentos” em prédios separados. 

É claro que, com o tempo, o varejo continuará crescendo, especialmente porque a cultura do carro reduz a importância dos distritos comerciais do centro.

E permite a criação de shoppings e hipermercados em lugares mais afastados ou seja nos bairros.

E isso é uma forte tendência do mercado varejista brasileiro. As redes de supermercado Consul estão usando dessa estratégia.

A nova rede suburbana se abre para o varejo brasileiro em todo o país, trazendo dezenas de milhares de compradores para cruzamentos e BR ‘s em todo país.

O varejo brasileiro e mundial continuará mudando

Até os anos 1800, o varejo era local de serviço completo atendendo os clientes, pense na clássica “loja geral” de qualquer filme de faroeste antigo.  

Embora possa não parecer tão extraordinário para os padrões de hoje.

O primeiro supermercado King Kullen foi o primeiro de muitos supermercados a oferecer uma variedade de produtos em uma loja. 

As lojas de descontos e departamentos surgiram como as lojas de maior sucesso nos EUA na década de 1990.

O mercado varejista brasilerio e mundial soube se adaptar às mudanças.

E não viu a internet como inimiga, mas como aliada para venderem para mais e para lugares mais longes.

E focaram e focam justamente na experiência de compra do cliente. E saiba que as novas mudanças seguiram também essa direção.O que você vê que mudou em nosso mercado de varejo brasileiro?

Vamos fazer uma resenha. Comente aqui em baixo!

Compartilhe agora mesmo:

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta


*


*


Seja o primeiro a comentar!

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.