10 alimentos prejudiciais a saúde que você deve evitar

Tempo de leitura: 7 min

Escrito por Carlos Meira

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

100% livre de spam.

Compartilhe agora mesmo:

O desejo por alimentos cremosos, crocantes e fritos é normal, pois eles tem um gosto bom. Contudo, é preciso tomar cuidado com excessos, que podem trazer sérios riscos para a saúde.

Um adulto saudável médio que ingere uma dieta de 2.000 calorias por dia deve ter como objetivo que 45 a 65 por cento dessas calorias venham de carboidratos, de preferência não refinados. 

Você também não deve ingerir mais do que 66 gramas de gordura (incluindo menos de 20 gramas de gordura saturada) e não mais do que 2.400 miligramas de sódio por dia.

Seguir as orientações nutricionais e comer alimentos saudáveis ​​ fazem a diferença. As pessoas que comem cinco porções de frutas e vegetais todos os dias tem uma qualidade de vida melhor do que as que não comem. 

Mesmo que você prefira uma fatia de torta de maçã a uma maçã, você pode fazer escolhas mais saudáveis, evitando os alimentos que você sabe que não são bons para você, podendo suplementar com suplemento mineral e vitaminico que seja indicado por seu médico.

Por isso, hoje separamos os 10 principais alimentos prejudiciais à saúde para que você saiba o que fazem no organismo e evite-os. 

  1. Fast food e produtos fritos

Um dos problemas de comer alimentos fritos com alto teor de gordura é que cozinhar alimentos em temperaturas tão altas pode fazer com que formem compostos químicos tóxicos, que então comemos. 

O consumo frequente de alimentos de fast food e fritos está relacionado a problemas de saúde como acidente vascular cerebral e um risco aumentado de certos tipos de câncer, incluindo mama, esôfago, cabeça e pescoço, pulmão, pâncreas e próstata. 

Além disso, cozinhar em alta temperatura, e especialmente fritar, também faz com que os alimentos desenvolvam PFGAs (abreviação de produtos finais de glicação avançada), que tem sido associados à inflamação crônica que desenvolve doenças.

Sendo assim, busque serviços de alimentação mais saudáveis, que tenham opções de saladas e proteínas, de preferência, cozidas.  

  1. Refrigerantes e sucos industrializados 

A maioria dos refrigerantes contém xarope de milho com alto teor de frutose (de onde vêm todas as calorias), corantes alimentares, conservantes e outros ingredientes incompletos. 

Beber refrigerante é como beber um doce líquido, pois são como bombas de calorias açucaradas que contribuem para a obesidade a nível mundial. Além disso, está associado a um risco aumentado de certos tipos de câncer, envelhecimento prematuro e distúrbios hormonais.

Os refrigerantes são feitos de água gaseificada, e há algumas pesquisas preliminares que sugerem que a água gaseificada pode aumentar os níveis do hormônio da fome grelina, deixando a pessoa com mais fome e isso pode levar ao ganho de peso.

Embora os refrigerantes em si sejam rápidos em obter uma má reputação, eles não são todo o problema. Isso porque os sucos industrializados contêm uma grande porcentagem de açúcar em sua composição, além de conservantes.

Contudo, uma ingestão controlada desses sucos não gera problemas tão sérios como aqueles visualizados com o consumo de refrigerante. Mas ainda assim, ambas as bebidas açucaradas podem ser danosas ao organismo como um todo.  

  1.  Carne processada

Enquanto as carnes processadas são comparáveis ​​às carnes não processadas quando se trata de gordura saturada e colesterol, contêm muito mais sódio, sendo 4 vezes mais, e também contém 50% mais conservantes de nitrato.

A carne processada, que inclui bacon, presunto, salsichas, salame e quaisquer pedaços de carne usados ​​em charcutaria pronta, aumenta o risco de doenças cardiovasculares, bem como de certos tipos de câncer.  

  1.  Excesso de açúcar 

O açúcar ocorre naturalmente em todos os alimentos que contêm carboidratos, como frutas e vegetais, grãos e laticínios. Consumir alimentos inteiros que contenham açúcar natural é normal.

No entanto, ocorrem problemas quando você consome muito açúcar adicionado, ou seja, açúcar que os fabricantes de alimentos adicionam aos produtos para aumentar o sabor ou estender a vida útil.

Consumir muito açúcar pode aumentar a pressão arterial e a inflamação crônica, que são caminhos patológicos para doenças cardíacas. 

O consumo excessivo de açúcar nos líquidos também contribui para o ganho de peso, enganando o corpo para que ele desligue o sistema de controle do apetite, porque as calorias líquidas não são tão satisfatórias quanto às calorias dos alimentos sólidos. 

Bons recursos para substituir o açúcar na dieta incluem o uso de adoçantes como stevia e xilitol. Eles já vêm com separador de gotas para adequar o sabor da bebida ou alimento, ou podem ser adquiridos em pó também. 

  1. Excesso de sal 

O sódio é um mineral essencial para a função muscular e nervosa ideal. Junto com o cloreto, também ajuda o corpo a manter o equilíbrio adequado de água e minerais.

No entanto, apesar de suas funções essenciais, a ingestão de muito sal pode ter efeitos desagradáveis, tanto a curto quanto a longo prazo.

Uma refeição rica em sal também pode fazer com que um maior volume de sangue flua através de seus vasos sanguíneos e artérias. Isso pode resultar em um aumento temporário ou fixo da pressão, aferida pelo aparelho para medir pressão arterial, a longo prazo.

Além disso, o sal pode gerar retenção de líquidos pela função renal e aumentar o risco de doenças cardíacas e de câncer de estômago. 

  1. Pão branco

Os carboidratos são o principal nutriente do pão. Os carboidratos fornecem combustível ao corpo e são essenciais na dieta, considerando os pouco processados.

Contudo, as empresas comercializam pão branco feito com um carboidrato simples e altamente processado. É rápido e fácil de digerir, mas tem pouco valor nutricional.

Os alimentos feitos de grãos altamente processados ​​aumentam o nível de açúcar no sangue logo após a ingestão. Picos frequentes de açúcar no sangue podem eventualmente contribuir para o desenvolvimento de diabetes tipo 2. 

  1. Salgadinhos 

Os salgadinhos são feitos a partir das matérias-primas de milho ou batata, principalmente, mas esse não é o problema. O grande vilão do salgadinho é o ultraprocessamento que é feito para comercialização.

Após os múltiplos processos, o alimento fica repleto de gordura e sal, o que pode contribuir para o desenvolvimento de pressão alta e infarto do miocárdio (ataque do coração). Além disso, o salgadinho é pobre em nutrientes, ou seja, não traz qualquer benefício.

A retirada do salgadinho da dieta vem lentamente e associada a um serviço de calibração. Ou seja, você vai calibrando aos poucos a sua vontade de comer e quando menos esperar terá parado de comer e sentir falta. 

  1. Bebidas alcoólicas 

O álcool é uma substância tóxica presente nas bebidas alcoólicas com caráter psicoativo e propriedades produtoras de dependência. Em muitas das sociedades atuais, as bebidas alcoólicas fazem parte da rotina social de muitas pessoas.

A bebida alcoólica, sendo algo tóxico, afeta uma ampla gama de estruturas e processos no sistema nervoso central e aumenta o risco de lesões intencionais e não intencionais e consequências sociais adversas além de efeitos no sistema digestivo e cardiovascular.

Além disso, o uso frequente de bebidas alcoólicas pode resultar em dependência podendo ser detectada e relatada em um laudo de periculosidade, pois você passa a colocar os colegas em risco em posições como motorista, por exemplo. 

  1.  Chocolate 

O cacau, que é a base do chocolate preto, tem muitas propriedades benéficas e seu consumo é indicado, in natura. Contudo, quando está associado a outros elementos e comercializado, devido ao ultra processamento, vem acompanhado de gordura.

Além da gordura, o açúcar é adicionado em grande quantidade e tudo isso pode fazer muito mal a longo prazo. Sendo assim, o consumo frequente do chocolate pode contribuir para o desenvolvimento de obesidade e diabetes tipo 2.

Em outras palavras, o ultraprocessamento faz com que o sistema de entrega dos componentes benéficos do cacau seja prejudicado, pois não muito dele fica após o processo, e sim, grande quantidade de gordura e açúcar. 

  1. Cafeína em excesso 

A cafeína é uma substância psicoativa que ocorre naturalmente no café. Os fabricantes também o incluem em muitos refrigerantes e bebidas energéticas. 

Se consumida em excesso pode provocar sintomas de:

  • Ansiedade;
  • Agitação;
  • Inquietação;
  • Problemas de sono;
  • Tremores.

Esses sinais aparecem principalmente se você tem uma ingestão frequente de bebidas ultraprocessadas, como o energético.

Em resumo, a escolha dos alimentos para sua dieta funciona como um sistema de pedidos para restaurante no qual você é quem gerencia os desejos do organismo e pode ceder ou não para esses alimentos.

Portanto, agora que você já sabe quais os malefícios desses alimentos, procure evitá-los ou reduzi-los da sua dieta. Assim você garante uma maior qualidade de vida e estende a sua expectativa de vida.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Compartilhe agora mesmo:

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta


*


*


2 Comentários

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.